Dicas de marketing para imobiliárias e corretores de imóveis
Saiba porque o site da sua imobiliária não aparece no Google

Voltar

Hoje vamos falar sobre os MITOS que fazem com que o site da sua imobiliária não apareça bem posicionado nas pesquisas do Google.

Mas antes de começar eu gostaria de responder uma pergunta que eu recebo quase todos os dias:

Será que compensa gastar tempo e energia em tentar melhorar o posicionamento de um site imobiliário sendo que existem vários portais de imóveis que disputam o mesmo espaço nas pesquisas do Google?

E a minha resposta pra essa pergunta é clara: Sim, compensa e daqui a pouco  eu vou te explicar o motivo.

O argumento mais comum que eu vejo entre os corretores de imóveis é que eles não tem tempo para executar todo o trabalho que um processo de otimização requer.

E eu reconheço que a vida do corretor é bem corrida e parar tudo para ficar pesquisando na internet sobre procedimentos de otimização e depois aplicar vários processos pode ser bem desgastante.

Ainda mais sabendo que o Google atualiza constantemente as suas métricas e a maioria dos tutoriais que a gente encontra na internet estão totalmente desatualizados.

Mas o fato é que o mercado imobiliário vai continuar evoluindo e eu acredito que a única maneira de você aproveitar as oportunidades que estão surgindo é se adaptar às novas tecnologias o quanto antes.

E uma das melhores maneiras de aproveitar essa onda é seguir uma estratégia de otimização desenhada especificamente para imobiliárias.

Assim você vai conseguir não apenas melhorar o seu posicionamento nas pesquisas mas principalmente oferecer um conteúdo relevante e útil para os seus clientes e assim se tornar uma referência na sua região de atuação quando o assunto são imóveis.

Mas será que essa estratégia funciona só para as grandes imobiliárias?

Na verdade não, nós temos muitos casos de clientes que são corretores autônomos e estão conseguindo se destacar e aumentar consideravelmente o tráfego orgânico do seu site, ou seja, trazer visitantes através da pesquisa comum do Google, sem pagar nada.

E esses acessos que vem através das pesquisas tem uma ótima qualidade porque são pessoas que estão justamente procurando por imobiliárias ou imóveis na sua região, seja para comprar, alugar ou até pesquisando como vender o seu imóvel pela primeira vez.

Se você não estiver disposto a tomar um tempo para desenvolver uma estratégia de otimização do seu site, você estará deixando vários novos negócios passarem pela sua janela sem fazer nada.

Então vamos lá, agora você vai conhecer os 6 principais mitos que nós ouvimos quase todos os dias e que provavelmente estão impedindo que o seu site apareça nas pesquisas.

Mito 1: Eu só preciso de um site bem otimizado para aparecer na primeira página do Google:

Um site bem otimizado ainda é importante, mas hoje não tem mais o mesmo significado que tinha antigamente.

Em 2004 quando fundamos a CODE 49, era tudo mais fácil, a maioria dos sites não tinham o básico de otimização, como Metatags por exemplo.

Alguns ainda eram desenvolvidos totalmente em Flash. o que fazia com o que o site sequer aparecesse no Google, quanto menos ter um bom posicionamento.

Então quem desenvolvia um site com o básico de otimização já tinha um grande diferencial.

Hoje em dia ter um site otimizado significa ter alguns pré-requisitos como:

Títulos bem claros e independentes para cada página.

  • URLs amigáveis, ou seja, cada página ter um endereço no navegador que já indica do que o conteúdo se trata.
  • Metatags independentes para cada página. Para quem não é familiarizado com esse termo, Metatags são informações que ficam no código fonte do site e mostram detalhes sobre o conteúdo para os sistemas de buscas, por exemplo o título e descrição de cada página nos resultados do Google.
  • O site precisa ser responsivo, o que quer dizer se adaptar perfeitamente para celulares, tablets ou até monitores de tamanhos diferentes.
  • O site precisa ser rápido, e boa parte desse requisito recai no processo de otimizar as imagens do site. Se você adiciona uma imagem de 2 megas no topo do seu site, isso significa que cada pessoa que acessar o site precisará fazer o download daquela imagem para poder navegar no seu site. 
Mas daí vem o detalhe mais importante, tudo isso que eu citei até agora são os padrões mínimos quando pensamos em posicionamento do site.

Só para exemplificar, imagine que você vai participar de uma corrida de stock car. Você precisaria de um carro super rápido, com os melhores pneus, suspensões especiais e tudo mais.

Mas mesmo com um carro preparado para stock car, isso não é suficiente para você ganhe a corrida. Você provavelmente perderia até para o Rubinho Barrichelo pelo simples fato que ele é melhor que você em corridas.

O mesmo princípio se aplica para otimização de sites. Ter um site bem desenvolvido, com todas as Metatags, títulos e URLs é importante e você definitivamente precisa de tudo isso.

Ter apenas um site otimizado não é suficiente, isso é muito importante mas é só o começo.

Mito 2: Você precisa publicar artigos no seu site todo dia ou pelo menos uma vez por semana.

Definitivamente não, você não precisa publicar conteúdo todos os dias para ter um bom posicionamento. Na verdade, publicar demais pode tornar o seu conteúdo disperso e menos focado na mensagem que você quer passar para a pessoa certa.

A chave aqui é pensar menos em quantas vezes você está publicando conteúdo e mais em o que você está publicando, e na qualidade do que você está publicando.

Sempre que for publicar algum artigo ou conteúdo, é importante fazer a seguinte pergunta para si mesmo:

Quem vai gostar desse conteúdo e porque vão gostar. Se a sua resposta não for convincente, não invista tempo nisso.

Lembre:se  você está escrevendo para pessoas e não para o Google, mesmo porque  sistemas de buscas não compram imóveis   :)

Mito 3:  Um site precisa ter palavras-chave repetidas para se posicionar bem.

Esse mito ainda é muito forte em otimização, mas totalmente desatualizado e ineficiente.

Muitas pessoas ainda acham que é preciso repetir várias vezes os termos que querem posicionar no Google, usando variações no singular, plural, com ou sem acento, etc.

Sim, palavras-chave são importantes para mostrar para o Google do que se trata a página, mas se você focar mais em encher a página com palavras-chave e menos em fazer um texto de qualidade para o visitante, pode ter certeza que não estará criando o tipo de conteúdo que o Google procura para suas primeiras posições nas pesquisas.

Portanto o objetivo aqui é fazer com o que o seu conteúdo capte a atenção do visitante e ele permaneça na sua página por um bom tempo, o que é uma das principais métricas do Google para determinar se o site que o visitante abriu tem o conteúdo que ele procura.

Uma dica interessante é adicionar vídeos e imagens nos textos, isso é bem visto pelo Google por tornar a informação mais completa e detalhada e também colabora com o objetivo de prender a atenção do visitante através de um conteúdo interessante.

Mito 4: Conseguir o máximo de backlinks que conseguir apontando para o seu site.

O termo backlink é cada vez mais usado na internet e basicamente são os links que outros sites tem para o seu site.

Ou seja, na visão do Google seria como quantos outros sites recomendam ou citam o seu site, o que mostra que o seu site tem uma certa relevância.

Backlinks são importantes, e na verdade eles são o principal critério de posicionamento do Google.

No entanto, existem mais de 500 fatores ou critérios no algoritmo do Google para definir o posicionamento e links são apenas uma parte disso.

O que mais importa é de onde vem o link e não a quantidade de links que apontam para o seu site.

Isso vem desde o primeiro algoritmo do Google, criado pelos fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin ainda nos anos 90 e que revolucionou ao definir pesos para os links.

Na minha opinião essa foi a grande sacada que fez o Google ser o que ele é hoje.

Eles tiveram a ideia do algoritmo baseado em peso dos links ao analisar publicações médicas, chegando a conclusão que um link vindo do blog qualquer simplesmente não poderia ter a mesma influência e relevância que um link vindo de um site de uma autoridade no assunto.

Esse primeiro algoritmo do Google recebeu o nome de PageRank, e parte dele ainda permanece valendo nos dias de hoje.

Então, um link apontando para o seu site vindo do site de um colega não tem o mesmo peso de um link vindo do UOL por exemplo.

Mas como eu disse, o peso dos links é apenas um dos fatores, e hoje um link que não tenha tanto peso mas que seja de um site relacionado ao mercado imobiliário tem um valor importante no algoritmo.

Ou seja, um link vindo de um site com peso 5 mas que não tem contexto nenhum com o mercado imobiliário provavelmente valerá menos que um link com peso 3 mas que seja de um blog imobiliário ou de uma empresa da sua região.

Uma busca por imóveis na internet  sempre resultará em resultados locais, portanto no caso de sites imobiliários, os links de empresas ou sites locais são muito relevantes e valiosos.

Mito 5: Copiar textos de outros sites para aumentar o conteúdo do site.

Eu sei que é tentador copiar textos prontos porque praticamente tudo que você quiser publicar já existe algo parecido pronto na internet.

Nós mesmos costumávamos fazer isso e na década passada até que funcionava muito bem.

Isso mudou em 2011 quando o Google lançou o famoso Google Panda, que veio com a única finalidade de detectar e punir conteúdos duplicados.

Você ainda pode e deve copiar uma notícia que considere interessante para o seu visitante. Mas para não ser punido é importante indicar para o Google que esse conteúdo não deve ser indexado.

Mito 6: Uma empresa disse que pode posicionar o site em primeiro lugar no Google

Esse eu acredito que seja o principal mito que ouvimos. Muitas pessoas acreditam que existe um segredo que faça um site aparecer em primeiro lugar no Google e que nós sabemos esse segredo.

Infelizmente esse segredo não existe e nem aquela empresa que divulga que garante o primeiro lugar se você pagar uma fortuna para eles sabe esse segredo.

Definitivamente não existe pílula mágica para posicionar o seu site do dia para a noite.

Se existisse esse segredo, logo todos saberiam e os resultados do Google seriam uma bagunça e ninguém mais usaria.

O Google possui um exército de programadores que trabalham todos os dias com a única finalidade de mostrar para os seus visitantes o melhor resultado para aquele assunto que eles estão procurando.

Portanto precisamos ser práticos e seguir as próprias recomendações do Google, e essas recomendações são muito claras.

Além dos pontos técnicos que eu citei anteriormente, o Google quer que o seu conteúdo seja completo sobre o assunto em questão. Ele declara isso publicamente no seu documento de diretrizes de qualidade para webmasters.

O Google não dá detalhes sobre como ele quer que o seu conteúdo seja, com exceção disso, ser completo sobre o assunto em questão.

Mas sendo uma imobiliária, qual conteúdo você poderia criar no seu site que seja útil e único para o seu visitante?

Aqui vai uma sacada que pode fazer te destacar e até ganhar a disputa com os portais de imóveis.

Crie conteúdo sobre os bairros da sua cidade, quanto mais específico melhor. Conte sobre a história de cada bairro, assim como fatos recentes, curiosidades e principalmente sobre expectativas de investimentos naquela região.

Os portais de imóveis tem um peso muito grande nas pesquisas, mas como geralmente eles atendem uma área muito ampla, eles acabam sendo genéricos. E a grande vantagem de uma imobiliária ou corretor de imóveis é justamente conhecer a sua área de atuação melhor do que eles.

Quanto mais específica for a busca, maior a chance do seu site aparecer primeiro que os portais de imóveis.

Portanto se você criar conteúdos no seu site que realmente ajudem as pessoas que estão procurando imóveis, vocë será recompensado tanto pelos seus clientes quanto pelo Google.

Data: 18/03/16